saudade

Depois do fim… Tu é que tens razão!

Publicado em Atualizado em

lost-71167_960_720

 

“és bandido… não sabes viver…sai de casa… és deprimente… deixa-me viver…”

Estas são algumas das “acusações” feitas a alguém que ama, se preocupa, discute quando vê algo errado…

Este é um lema de quem quer cuidar. Infelizmente é assim…

Hoje, vivem sem pensar em consequências, sem pensar num futuro, no que o hoje poderá trazer amanhã… Daí não darem importância, não cuidarem…

E nós… os que amamos e cuidamos… Será esta a nossa maneira de viver? Cuidar e amar quem no fundo nem te quer ver.

Damos conta, mas no fundo nem queremos saber. Apenas nos focamos em manter feliz a pessoa que faz de nós um ser… Um ser… nem sempre motivado, arrastado pelas emoções que lhe vai trazendo o fado.

No fim de contas, sentimos-nos culpados sem culpa ter… O único pensamento que vagueia na nossa cabeça, é morrer… 

Sentimento errado, embora na nossa cabeça acertado, faz de nós prisioneiros na nossa própria mente. Afundamos-nos em lágrimas e isolamos-nos ficando com a alma demente…

A pessoa que nos culpava… Sim! Aquela que nos “amava”, enquanto tu drenavas as mágoas, ela estava a usufruir de uma “liberdade mental” que no fundo não passava de um sentimento anormal, porque no fundo já não tinha o fardo às costas de quem… amou mal…

Conta uma relação que aos nossos olhos não a reconhecemos… Porque a conta à maneira dela, de modo a sair por cima de nós… Afundado-nos ainda mais.

E é esse momento que mais nos custa! Depois de teres empenhado uma vida inteira naquela pessoa, a dar o melhor de ti todos os dias. Recorda-te como um estorvo… Por mais que penses e repenses, não vais conseguir encontrar um motivo para estar a fazer isto… e continuamos… presos no silêncio.

No entanto, nós somos “o bandido”.

 

 

Anúncios

Sempre tu…

Publicado em Atualizado em

images

Tu. Sempre tu. Mas porquê tu? Tu de manhã, à tarde, à noite e de madrugada. Mas porquê tu? Tu que me iludiste, magoaste, abandonaste, tu que me deixaste sozinho e me fizeste chorar. Porque é que mesmo depois de tudo isto é de ti que sinto falta? Porque é que mesmo assim é a ti que quero contar o que de bom e mau me acontece dia a dia? Mas porquê tu?
…O amor verdadeiro é assim, quando bate é a sério, quando entra no coração nem o tempo o tira de lá. Quando é verdadeiro a gente não desiste e arranja sempre forças para lutar mais um dia, mais uma noite, mesmo sabendo no fundo que nos vamos magoar de novo. Porque debaixo desta raiva, mágoa, tristeza e solidão, mora ainda a saudade no coração e a vontade de voltar ao que era. Mas para quê conhecer-te com o tempo se tu mudas diariamente? Para quê conhecer-te por inteiro se agora só ligas aos ferraris? Para quê saber-te os detalhes se agora só queres o que tanto criticavas nos outros? Mas mesmo assim é em ti que pára o meu pensamento. Tu, sempre tu. Passe o tempo que passar. Vou sempre pôr na cabeça que estou a seguir em frente mas na verdade basta olhar-te para perceber que o meu coração ainda espera o teu, voltarem a bater bem junto um do outro. Mesmo que eu não o queira, mesmo que peça aos céus conseguir esquecer os teus lábios, a tua cara de sono pela manhã, o quanto te apaixonavas pelo meu olhar e fazias aquele sorriso tonto que eu tanto amava… Mas porquê tu? Quando é que vou perceber que não vale mais a pena lutar por alguém que mudou tanto ao ponto de ter agora o orgulho maior do que o coração? Desisto, desisto daquilo pelo qual não foste capaz de lutar. Mudaste, imenso. Posso ainda te amar mas não te quero de volta. Tornaste-te fútil... Um dia vais perceber que percebeste tarde demais, até lá continua à procura dos decotes e roupas curtas para sair a festas e casos de uma noite, é certamente isso que te dará conforto, que cuidará de ti quando estiveres doente, que te dará apoio quando estiveres em baixo. O mais triste é as tuas amigas me dizerem para eu não desistir de lutar por ti, mas sabes que mais? Eu já nem te reconheço.

Lembra-te do que fomos…

Publicado em Atualizado em

7269_ad9c

Éramos um só…
Vivemos como se não houvesse mais nada no mundo, a não ser… tu e eu!
Ri-mos e choramos, partilhámos, ama-mos…
Até um dia… em que tudo terminou. Culpa de ambos!
Um não valorizava e outro chorava… Tudo porque o meu mundo deixou de ser nós e vice-versa…
Se não me tivesses encostado num canto da gaveta, nunca teria havido dúvidas nem desconfianças… Nunca teria agido da mesma forma que tu… encostar-te num canto da gaveta…
Agarrei-me a música e pensamentos, numa tentativa de afogar as mágoas… Tu agarraste-te a outras pessoas… na tentativa de te mostrares forte (penso eu), ou então simplesmente com eles quiseste estar e não comigo…
Corria contra ventos e tempestades por ti, desaproveitei e larguei quem me valorizou…
Hoje arrependo-me. Penso em nunca mais voltar atrás na minha decisão… Mas o amor e a saudade bate mais forte quando fotos que retratam momentos nossos felizes encontro…
E se um dia voltamos a ser amigos e a paixão surge novamente? Acabarei na mesma situação… Por isso afasta-te de mim, e é tudo o que eu te peço…